Detran-AL autua sete condutores por dirigir alcoolizados  

Ao todo, 233 condutores de veículos foram revistados e 243 testes de alcoolemia realizados

6e2ff6f566d244a8db13aad7b7edb0ff_L

O Departamento Estadual de Trânsito de Alagoas (Detran/AL), em parceria com a Polícia Militar (PM), promoveu duas Operações Lei Seca na quarta-feira (3), em bairros distintos de Maceió. A primeira ocorreu no bairro do Farol, durante a tarde, e no período da noite as equipes deram continuidade no bairro de Mangabeiras. Ao todo, 233 condutores de veículos foram revistados e 243 testes de alcoolemia realizados.

Na ocasião, quatro veículos foram removidos para o pátio do Detran/AL, nove Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs) recolhidas e 55 autos de infrações foram registrados por diversas irregularidades no trânsito. Sete condutores foram autuados e retirados de circulação por conduzir os veículos sob a influência de álcool, e nove inabilitados foram flagrados pela Lei Seca dirigindo sem a documentação exigida.

De acordo com o coordenador da Operação, tenente Emanuel Costa, a Lei Seca irá continuar atuando de forma intensiva, tanto na capital, quanto no interior de Alagoas, com o compromisso de estabelecer um trânsito mais seguro em respeito à vida dos cidadãos.

“Maceió é a segunda capital mais bem avaliada do país no fator em que as pessoas não arriscam mais em dirigir após terem ingerido bebidas alcoólicas. Mas os trabalhos precisam continuar de forma intensiva, principalmente no interior do Estado. Também nos preocupa muito o número de inabilitados que ainda insistem em dirigir sem a documentação. Nesta operação, conseguimos retirar de circulação nove pessoas, um número bastante expressivo”, ressaltou Costa.

Os sete condutores autuados e retirados de circulação por conduzir veículos sob a influência de álcool tiveram a CNH recolhida ao órgão e o direito de dirigir suspenso por 12 meses, além de, após o devido processo legal, pagarem uma multa de R$1.915,40. As operações contaram com o apoio da equipe de inteligência do Detran.

Maria Alliny Torres – Agência Alagoas

04/08/16