É estagiário e quer ser efetivado? Veja dicas

Pela mão de obra ser mais barata, é mais fácil ser demitido como estagiário. Erro é deixar empenho que teve na seleção passar quando é contratado

estagio

Quem está passando ou já passou por seleções para conseguir uma vaga de estágio sabe que os processos chegam a durar meses. Os candidatos passam por vários testes e disputam a vaga com muitos concorrentes. E, quando são escolhidos, precisam mostrar às empresas por que eles merecem permanecer na organização como efetivados.

“Muitos estagiários pecam quando deixam a animação e o empenho que tinham durante o processo seletivo passar quando são contratados. Esse é o maior erro”, afirma Madalena Feliciano, coach de carreiras.

“Isso geralmente acontece quando o estudante ‘atira para todos os lados’ na procura de uma empresa para estagiar e não se concentra nas que ele realmente quer. Acaba fazendo um trabalho mediano, porque para ele tanto faz, essa ou aquela empresa. Nenhum gestor gosta disso”, diz.

Segundo a coach, é imprescindível sempre tentar superar as expectativas e ir um pouco além do esperado. “O fato de ainda estar aprendendo a prática do trabalho não significa que ele irá se safar de todas as coisas erradas que fizer, ou se não houver empenho. Não basta só colocar no currículo que é proativo, tem que, de fato, ser. Pela mão de obra ser mais barata, é muito mais fácil ser demitido como estagiário. Empresa nenhuma continua empregando quem não acrescenta”, diz.

Veja as dicas de Madalena que podem ajudar os estagiários a serem efetivados:

Pontualidade
As empresas geralmente funcionam como um “efeito dominó”, se atrasar e começar a trabalhar mais tarde, pode comprometer o rendimento das pessoas que dependem do seu trabalho feito. Não é só porque você é estagiário que suas atividades sejam menos importantes. Se atrase somente quando for inevitável, e tente ao máximo comunicar a empresa com a maior antecedência possível.

Flexibilidade
Se for pedido para que fique depois do horário e isso não atrapalhe outros compromissos, principalmente com a faculdade, fique. Seu trabalho duro será reconhecido no futuro. Não há aprendizado maior do que a prática, não se prenda muito à teoria da faculdade e não tenha tanta pressa de sair quando der o seu horário.

Comunicação
Ter uma boa relação com os colegas, participar dos happy hours e outras confraternizações da empresa contam pontos com o chefe, pois mostram sociabilidade e extroversão. Mas saiba separar as coisas. O que acontece no happy hour fica no happy hour.

Redes sociais
Hoje em dia, Facebook e Whatsapp já são usados como ferramenta de trabalho. É comum ter grupos da empresa nas redes sociais, onde todo o mundo se comunica. Mas tenha bom senso. Ser pego utilizando outra rede social com muita frequência não vai pegar bem para você. Deixe essas para a hora do almoço.

Clareza e objetividade
Para quem está no último ano de faculdade e ainda não ficou claro se será ou não efetivado ao final do contrato, é a hora de conversar com o chefe. Seja claro e diga que quer a vaga, pergunte quais são as chances. Mostrar vontade de trabalhar com certeza vai pesar na hora de o gestor fazer a escolha.

Mas é sempre importante, antes de se inscrever no processo seletivo da empresa, procurar saber qual é o plano de carreira para não haver conflitos de interesses e gerar uma futura desmotivação. Algumas empresas deixam claro desde o início que só capacitam o candidato, mas não o efetivam.

Conheça a empresa
É importantíssimo conhecer muito bem a empresa para qual você vai se candidatar. Faça pesquisas na internet e, se tiver a oportunidade de conversar com um ex ou atual funcionário, melhor ainda. Isso ajuda na hora de se preparar para as entrevistas e de saber se você e a empresa dividem os mesmos valores. É isso que te manterá motivado a trabalhar e conseguir futuras promoções.

g1

09/09/16