Nove fogem da Casa de Custódia após quebrar parte da laje de pavilhão

img_3031-350x262

Pelo menos nove presos conseguiram fugir no início da tarde deste domingo (27) da Casa de Custódia de Teresina. Segundo o diretor do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), Kleiton Holanda, 15 detentos se envolveram na ação, mas seis deles foram recapturados ainda na quadra de esportes do presídio.

A fuga aconteceu quando eles quebraram parte da laje do pavilhão B e andaram pelo vão até chegar à área lateral que dá acesso à quadra de esportes. Entre os presos que conseguiram escapar estão assaltantes, estupradores e homicidas.

“Nós já viemos alertando há muito tempo para essa situação na Casa de Custódia. É uma penitenciária superlotada, sem estrutura adequada. Quando chega nessa época de festa as de fim de ano vem a questão da superlotação, o recesso judiciário e a falta de reforço policial”, falou o representante dos agentes penitenciários.

Há quase 15 dias, a Casa de Custódia registrou duas rebeliões em menos de 48 horas e praticamente todos os detentos da unidade prisional se rebelaram reclamando das péssimas condições do presídio. Foram dois momentos de muita tensão, dentro e fora do presídio, já que familiares chegaram a derrubar grades e interditar a rodovia em protesto.

A direção da Casa de Custódia e a Secretaria Estadual de Justiça (Sejus) ainda não se pronunciaram sobre a fuga.

Fuga em Parnaíba
Também na manhã deste domingo foi registrada a fuga de quatro presos da Penitenciária Mista Juiz Fontes Ibiapina em Parnaíba, Litoral do Piauí. Lá, os detentos conseguiram quebrar os cadeados e escapar da unidade. Nenhum deles foi recapturado.

“A penitenciária de Parnaíba é outro prédio frágil, sem estrutura para ser um presídio. É um antigo mercado que foi adaptado. Os cadeados que foram colocados após a rebelião registrada lá são de péssima qualidade e isso pode ter facilitado a fuga”, destacou Kleiton Holanda.

O mesmo presídio também foi palco de uma rebelião que deixou quase todos os setores da penitenciária com marcas da ação dos presos. Eles chegaram a atear fogo em colchões e outros materiais, chamas que só foram controladas após 12 horas pelo Corpo de Bombeiros. Homens da Tropa de Choque da Polícia Militar tiveram que ser acionados para controlar a situação.

Saída temporária
De acordo com a Secretaria Estadual de Justiça, 238 detentos que têm bom comportamento foram beneficiados com a saída temporária neste fim de ano.
Em Teresina, quatro unidades concederam o benefício: Penitenciária Feminina, com a liberação de 15 internas; Colônia Agrícola Major César Oliveira, unidade de regime semiaberto que vai liberar 201 internos; Penitenciária Regional Irmão Guido, com 10 internos liberados e Casa de Albergados, com a liberação de dois internos.

Em Picos, a Penitenciária Feminina vai liberar cinco internas. Já na Penitenciária de Oeiras, quatro internos serão liberados. As demais unidades prisionais não concederam liberação.

O procedimento adotado pela Sejus está disposto do artigo 122 a 125 da Lei de Execução Penal e trata, dentre outras questões, que o benefício aos internos é por prazo não superior a sete dias, podendo ser renovado por mais quatro vezes durante o ano.

Fonte: G1