Pai e ex-marido são suspeitos de matar britânica em ‘crime de honra’ Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/mundo/pai-ex-marido-sao-suspeitos-de-matar-britanica-em-crime-de-honra-20131148.html#ixzz4KbZYxeGf

presos

O pai e o ex-marido de uma britânica que teria sido assassinada em um crime de honra no Paquistão, estão sendo investigados pelo crime. A esteticista Samia Shahid, de 28 anos, morreu enquanto visitava os parentes no país natal deles, em julho.

O pai dela Mohammed Shahid e o ex-companheiro dela Mohammed Shakeel, foram acusados por estupro e homicídio. Eles participaram, neste sábado, de uma audiência judicial do caso, na cidade de Jhelum. As informações são do jornal “Daily Mail”.

Na ocasião da morte, parentes afirmaram que a esteticista tinha sofrido um infarto. Mas o atual marido dela, Syed Mukhtar Kazam, alega que ela foi assassinada porque eles se recusavam a aceitar o casamento dos dois.

No Paquistão, mulheres que se casam com homens sem o consentimentos de familiares acabam sendo mortas em “crimes de honra”, uma vez que casar sem aprovação dos parentes mancharia a honra da família.

Após o enterro da jovem, as autoridades locais começaram a investigar o caso. Os suspeitos, então foram presos, uma vez que os policiais do caso desconfiaram dos dois. Acredita-se que a jovem tenha sido estuprada e morta em seguida.

Neste sábado, eles foram levados até a corte judicial com os rostos cobertos. No caminho, os homens foram abordados por reportéres locais. O pai da jovem morta afirmou que as acusações contra ele o ex-marido da filha são “mentirosas” e acrescentou: “Vá até a delegacia e olhe meu depoimento”.

Na corte, o viúvo pediu que o corpo da mulher fosse exumado e que um exame de necropsia fosse conduzido no sentido de definir a causa da morte dela. Autoridades agora querem que a mãe e a irmã da vítima, que moram no Reino Unidos, também venham ao Paquistão para serem ouvidas.

O caso permanece sendo investigado pelas autoridades locais. Enquanto isso, os suspeitos permanecerão presos.

Samia Shahid morreu enquanto visitava parentes em Pandori, uma aldeia perto de Mangla Dam, no norte do Punjab. Kazam, que também é paquistanês, afirma que a família de Shahid não aprovava o seu “casamento por amor”. Eles se casaram em Leeds, na Inglaterra, em 2014, quando ela deixou seu primeiro marido, que era um primo da mesma aldeia dela.

Segundo o marido, os dois se mudaram para Dubai em maio de 2015, mas ela viajou para Bradford, na Inglaterra, duas vezes no ano passado para persuadir seus parentes a aceitarem o relacionamento.
Kazam afirmou que no início de julho, Shahid foi encorajada a viajar para o Paquistão pelo pai porque uma de suas tias tinha morrido, mas ela optou por não ir. Depois, afirmaram que um parente estava gravemente doente no Paquistão e ela voou para Islamabad em 14 de julho.

Pouco tempo depois, o marido foi avisado da morte de Shahid.

epoca

18/09/16