PF investiga superfaturamento em obras de transposição do São Francisco

i.php-3

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (11) uma operação para investigar superfaturamento em obras da transposição do rio São Francisco. Os desvios teriam ocorrido em 2 dos 14 lotes da transposição.

De acordo com os investigadores, empresários de um consórcio responsável pelas obras com superfaturamento utilizaram empresas de fachada para desviar cerca de R$ 200 milhões no trecho que vai do agreste pernambucano até a Paraíba. Os contratos investigados, até o momento, são de R$ 680 milhões.

Segundo a PF, as construtoras investigadas utilizaram empresas do doleiro Alberto Youssef e do operador Adir Assad para maquiar os desvios. São elas a MO Consultoria, de Youssef, e a Legend Engenheiros Associados, que pertence a Assad.

Ambos foram alvos da Operação Lava Jato e estão presos por participarem do esquema de corrupção da Petrobras.

Os envolvidos poderão responder pelos crimes de associação criminosa, fraude na execução de contratos e lavagem de dinheiro.

A operação chama-se Operação Vidas Secas – Sinhá Vitória, em referência a uma personagem do livro de Graciliano Ramos.

A PF cumpre 32 mandados judiciais em Pernambuco, Goiás, Mato Grosso, Ceará, São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Bahia e Brasília.

FOLHAPRESS