Renan Filho se diz a favor de privatizar Eletrobras, desde que dívida seja paga

O governador de Alagoas, Renan Filho (PMDB), falou sobre a possível privatização da Eletrobras Alagoas em uma entrevista coletiva à imprensa durante um evento para assinatura de ordens de serviço no estádio Rei Pelé, na manhã desta terça-feira (2). O chefe do Executivo diz ser a favor da venda, desde que o governo federal pague a dívida com o estado.

“Eu não sou contra privatização, se ela trouxer investimento, melhoria na qualidade de serviços vai ser melhor para o cidadão. Nós pagamos hoje uma das mais caras energias do país e a Ceal é uma das empresas menos eficientes, tem o maior índice de perda de energia, então eu acho que o governo federal pode até tomar a decisão de vender a Eletrobras, ele só deve pagar o que deve a Alagoas”, disse o Renan Filho.

De acordo com o governador, quando a Companhia Energética de Alagoas (Ceal) foi vendida para a União e passou a ser gerenciada pela Eletrobras, só foi pago metade do valor acordado, restando ainda cerca de R$ 230 milhões.

“Esse valor precisa ser corrigido, dependendo do formato da correção, oscila de R$ 800 milhões a R$ 2 bilhões. Alagoas quer receber, quer fazer um acordo, uma acordo extrajudicial discutido no campo administrativo com o Tesouro Nacional, porque senão nós vamos ter que judicializar, o que seria ruim para o estado, porque demora mais a receber, e muito ruim para a União porque demoraria para privatizar”, afirma Renan Filho.

A informação da venda da distribuidora de energia foi divulgada pelo ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Coelho Filho, em junho deste ano. Ele disse que após o leilão da distribuidora que atende consumidores de Goiás (Celg-D), marcado para agosto, o governo deve promover a concessão das distribuidoras de energia de Alagoas (Ceal) e do Piauí (Cepisa).

Renan Filho ainda voltou a afirmar que vai cobrar a dívida à União. “Nós temos que acompanhar a privatização da Eletrobras de perto. Nós não vamos permitir a privatização se o governo federal não pagar o que deve a Alagoas, isso é o que eu vou verbalizar em Brasilia”.
G1 AL