Seis mitos e verdades sobre o excêntrico Marilyn Manson

Cantor é uma das atrações do Maximus Festival, que acontece em São Paulo nesta quinta-feira

entretenimento-marilyn-manson-20160906-03

O roqueiro Marilyn Manson é uma das grandes atrações do Maximus Festival, um festival de rock pesado que acontece pela primeira vez em São Paulo, nesta quinta-feira, no Autódromo de Interlagos. Mas Manson, na verdade, é uma criação de Brian Hugh Warner, com 47 anos, em 1989, que explodiu na década de 1990 e continua relevante na indústria musical até hoje.

Com seu jeitão freak e atitudes sexualmente ambíguas e libidinosas, o cantor acumulou durantes os anos muitas histórias fantasiosas que acabaram se misturando, no imaginário dos fãs, com sua carreira e vida pessoal, graças a muitas declarações polêmicas do cantor, que criaram um dos rockstars mais bizarros e fascinantes da música. Confira abaixo alguns mitos e verdades sobre a vida de Marilyn Manson:
Marilyn Manson (Getty Images/VEJA)

Sem costelas

Um dos maiores mitos sobre Marilyn Manson envolve ele ter tirado um par de costelas para facilitar a prática de sexo oral em si próprio. O boato muitas vezes surge com o nome do cantor Prince, que na mente criativa da internet teria se submetido a mesma cirurgia. Manson já falou sobre o caso das costelas em várias entrevistas, negando o fato com muito bom humor e sempre rindo quando o assunto é mencionado.

Nome é marca registrada

Muitas pessoas sabem que o nome Marilyn Manson é uma homenagem a dois símbolos da cultura pop completamente opostos: a eterna diva Marilyn Monroe e o serial-killer Charles Manson. Porém, Brian Hugh Warner transformou o nome em uma marca registrada.  “Eu registrei o nome da mesma forma como Walt Disney e Mickey Mouse. Não é um nome artístico. Não é meu nome legal. Marilyn Manson é propriedade de Brian Warner, meu nome real”, ele contou durante uma entrevista entrevista coletiva no Festival de Publicidade de Cannes em 2015.

O Grinch

O cantor não gosta nem um pouco do Natal, e em 2014 contou à revista britânica NME que atiraria no Papai Noel sem pensar duas vezes caso o bom velhinho descesse pela sua chaminé. Qual o motivo de tanto ódio? O Natal cai muito perto de seu aniversário, que ocorre no dia 5 de janeiro, e desde criança ele ganha apenas um presente ao invés de dois. “Eu já queimei árvores de Natal. E gosto de contar para as pessoas o que elas vão ganhar de presente, antes de abrirem. Eu realmente não gosto do Natal”, garante.

Satanismo

O cantor é muitas vezes chamado de o Anticristo do Rock, por ser um fã de Anton LaVey, fundador da Igreja de Satã, que nomeou Manson como um reverendo honorário. Mas o roqueiro não se considera um adorador do demônio. “Muitas pessoas gostam de me passar como um adorador do diabo. Eu acho que só poderia ser verdade se eu me considerasse ser o diabo, porque eu tendo a ser narcisista e acredito na minha própria força e identidade. Acho que Deus é o que existe no que você cria. A arte é a única coisa espiritual no mundo”, declarou em uma entrevista ao site Beliefnet em 2001.

Anos Incríveis

Uma das primeiras lendas urbanas a se espalhar pela internet dizia que Manson teria participado da série Anos Incríveis, como Paul,e que anos depois o jovem ator virou o polêmico roqueiro. Obviamente essa história é mentira, e tanto Marilyn Manson como o verdadeiro intérprete do personagem, Josh Saviano — que possui semelhanças físicas com o músico –, se divertem com o caso.

Olho falso?

Para interpretar a persona artística nos palcos, Brian Hugh Warner, que tem olhos castanhos, usa lentes de contato para ficar com olhos de cores diferentes, mais especificamente com a íris branca. Óbvio que o visual exótico do cantor fez surgir várias teorias bizarras sobre o porquê de ser assim, ao invés de apenas aceitar que ele usa lentes de contato. Entre as loucas teorias já inventadas estão as que ele furou o próprio olho e colocou um de vidro no lugar, ou injetou LSD na pupila para ficar assim.

VEJA

07/09/16